FANDOM


Sombras de Gotham
Origins-4
Informações Gerais
Série Batman: Origens
Arco O Começo
Número do Episódio 4
Sequência
Episódio Anterior O Entardecer
Episódio Seguinte A Noite do Morcego
Créditos
Escrito por JokerLeo
Sombras de Gotham é o quarto episódio da série Batman: Origens.

SinopseEditar

A aparição do Batman gerou uma grande controvérsia em Gotham, onde muitos o apoiam, outros o odeiam e outros duvidam de sua existência. Enquanto isso, Gordon sofre ameaças de um outro policial no DPGC.

EnredoEditar

No interrogatório do o criminoso que tivera assaltado o banco na noite anterior, Gordon se apresenta ao bandido e o chama de “Willy”. Ele pede que Willy lhe conte tudo sobre a noite anterior. O criminoso diz que já falou tudo que sabia. Gordon diz que as autoridades não estão gostando da ideia de um “Batman”. O criminoso então permanece calado. Gordon suspira e fala que essa é a terceira vez que ele fala a mesma coisa, perguntando se está mesmo certo sobre tudo o que tem falado. O homem permanece em silêncio e Gordon se levanta, algemando o criminoso e retirando-se da sala.

“E então?” – pergunta Bullock. Gordon diz que Willys falou a mesma coisa, pelo visto o criminoso deve estar realmente muito louco ou está falando a verdade. O promotor Harvey Dent aparece e diz que não pode ser loucura, os outros criminosos envolvidos no assalto ao banco dizem ter visto exatamente a mesma coisa. Bullock questiona se eles não podem ter combinado algo e isso ser só uma armação. Dent então diz que essa armação os entregou para a polícia, o Batman é real sim. Bullock encara Dent com um olhar raivoso e pergunta a Gordon o que ele acha disso tudo. O tenente tira seu óculos, esfrega seus olhos e responde que não acha nada, não tem que achar nada.

Na Mansão Wayne, Bruce está comendo alguma coisa quando Alfred diz que ele recebeu um convite. Bruce pergunta de quem e Alfred responde que é um baile para comemorar o aniversário de Carmine Falcone. Bruce diz que não vai com a cara de Falcone. Alfred então fala que se Bruce Wayne desistir de ir para todos os lugares apenas por não ir com a cara das pessoas é melhor se mudar para uma caverna. Bruce, ainda comendo, vira os olhos para Alfred e volta a comer.

No Departamento de Polícia de Gotham City, Loeb aborda o Tenente Gordon, ele pergunta se tem alguma informação relacionada ao Batman e Gordon diz que ainda não, tem muita coisa a fazer enquanto ainda nem mesmo resolveu o caso do desaparecido Tenente Frank. Loeb manda abandonar o caso do Tenente, argumentando que esse é um caso perdido e o Tenente apenas é um folgado que decidiu largar o trabalho. Gordon fala que não é isso o que tem descoberto em seu trabalho. Loeb, já enfurecido, pergunta o que ele tem descoberto. Gordon sorri e responde apenas que não foi o Batman, retirando-se e deixando Loeb enfurecido.

Enquanto isso, na Zona Leste, Holly Robinson assiste televisão enquanto Selina Kyle procura por algo. Holly pergunta o que ela acha dessa história do Batman. Selina diz que é cedo para falar, ele só apareceu uma vez e nem foi comprovado. Holly fala que tem pensado nisso o dia inteiro. Selina afirma que ele não ousaria pisar na Zona Leste de Gotham City, então isso pouco lhe importa.

Na Mansão Wayne, Bruce atende um telefonema. “O que é isso que está aparecendo na minha televisão o dia inteiro, senhor Wayne?” – pergunta Lucius Fox na ligação. Bruce responde que é o tal Batman, ele nem acredita muito naquela história. Fox diz para não tentar fazê-lo de idiota, é uma grande coincidência que na semana em que lhe fornece um traje remetente à figura de um morcego surge uma criatura que também remete a um morcego na cidade, questionando, sarcasticamente, sobre quais tipos de esporte seu patrão anda praticando. “Não fiz nada demais, estou apenas na luta por um ideal. Eu posso confiar em você, senhor Fox?” – Pergunta Bruce Wayne, e Fox, após um suspiro, responde que sim e encerra a ligação desligando o telefone.

No Departamento de Polícia de Gotham City, o Comissário Gillian B. Loeb chama o Capitão Arnold Flass à sua sala. Ao entrar, o capitão pergunta o porquê de Loeb tê-lo chamado. Loeb diz que Gordon sabe de algo que não deveria saber, e pede que lhe ensine como se trabalha em Gotham City. Flass afirma que se Gordon sabe de algo, Bullock também deve saber e pergunta se deve fazer algo com ele também, mas Loeb nega, dizendo que não se sabe até onde vai a lista de contatos de Harvey Bullock, então é melhor deixa-lo quieto por enquanto. Flass sorri e diz lamentar, estava louco para dar um soco naquela “banha” do Detetive Bullock.

A noite cai em Gotham City, e Gordon está de saída do DPGC, indo para casa. É então que alguém surge por trás dele em um beco escuro. A figura (em anonimato por causa de um capuz) põe seu braço no pescoço de Gordon, sufocando-o. Retira então a arma que Gordon portava e põe no bolso do seu casaco. Ele chuta a perna de Gordon derrubando o tenente numa poça de lama no chão e continua a chutá-lo. “Fique bem longe do caso do ex-Tenente Frank, Jimmy Gordon, ou então vai acabar igual ele.” – Ordena o sujeito fugindo logo em seguida. Gordon recorda de Arnold Flass chamando-o do mesmo jeito e assimila sua voz, não tendo mais dúvida de quem seja o homem que lhe espancou.

Algumas horas depois (já de madrugada) em outra parte da cidade, dois criminosos contam um dinheiro em cima de um pequeno prédio de moradia. “Não sei não, cara, você ouviu o que estão dizendo por aí sobre o tal morcego”, diz um deles. O outro então fala que não vendeu tudo o que vendeu naquele dia para ter medo de morcego nenhum. O outro engole o seco e continua nervoso quando ouve um barulho. O Batman aparece por trás dos dois, que correm assustados deixando todo o dinheiro. Batman usa uma de suas cordas e derruba um dos criminosos no chão. Ele anda atrás do outro e o segura na ponta do prédio. O bandido lhe implora por misericórdia, que não o mate. Batman então fala que não vai mata-lo, perguntando onde conseguiram o dinheiro. O criminoso responde que foi vendendo. Batman pergunta o que e o bandido fica em silêncio até que o vigilante soque seu rosto, quando o criminoso responde um “um pouco de tudo”. Batman pergunta onde e o sujeito responde apenas “nas docas”. Eles ouvem então as sirenes da polícia se aproximarem. Os policiais sobem na laje do prédio, onde encontram apenas os dois criminosos desmaiados.

No dia seguinte, Gordon chega ao departamento de Polícia de Gotham City. Lá dentro, Flass e Loeb o veem chegar de dentro da sala do Comissário. Loeb pergunta se o Capitão fez o que lhe foi pedido, e Flass responde que parecia um moleque caindo no chão, não deve mais incomodar. Gordon dirige-se para sua sala onde encontra Bullock. O detetive lhe deseja um bom dia, enquanto o Tenente fica em silêncio. Bullock diz que falou com ele, geralmente pessoas educadas como o senhor “Tenente almofadinha” costumam responder. Gordon se desculpa e fala a Bullock que não estava prestando atenção, teve uma noite difícil. Bullock fala apenas um “ah, sei” e diz que o Comissário está exigindo o arquivamento da investigação do ex-Tenente Frank.

Gordon novamente não responde e Bullock pergunta, de forma grosseira, se custa prestar atenção no que ele tá falando. Gordon diz que ouviu, e pergunta o que ele acha. “Eu queria dizer que não, mas sabe como é, o Batman é prioridade em todo o DPGC, e depois dessa madrugada então...” responde o detetive. Gordon pergunta o que aconteceu na madrugada, e Bullock comenta que ele devia mesmo estar com a mente bem longe, explicando que um dos moradores da Rua 52 alegou ter visto o Batman e foram enviados alguns policiais para verificar, quando a polícia chegou encontrou dois contrabandistas amarrados.

Alguém bate na porta. Gordon abre e encontra-se com Flass. Ele fica paralisado naquele instante, e Flass pede para Bullock um apontador emprestado, o dele quebrou. “Não sou o único que tem apontador nessa droga de departamento, mas pegue e saia daqui. Faça-me o favor de devolvê-lo.” – manda Bullock estressado. Flass pega o apontador e sorri para Gordon, que ficou parado desde o momento em que Flass entrou na sala. Quando o Capitão sai, Bullock fala que odeia esse cara. Gordon tira de seu bolso um cigarro e nervoso o ascende. Bullock percebe o nervosismo do seu colega e pergunta se está tudo bem, e Gordon responde que está.

Algumas horas mais tarde, Bruce se levanta de sua cama e anda pela Mansão Wayne. Alfred fala que é quase 1 hora da tarde, comentando que seu patrão tem dormido bastante ultimamente. Bruce fala que é um milionário, está apenas fazendo o que milionários fazem. Aproveitando-se de estarem falando sobre milionários, Alfred lembra a seu patrão que o baile que o senhor Carmine Falcone está promovendo é em 3 dias. Bruce fala que ainda não se decidiu, e Alfred comenta que é bom se decidir.

No Departamento de Polícia de Gotham City, Loeb fala com Falcone pelo telefone. O Comissário avisa que Flass já botou o novato intrometido em seu devido lugar e pergunta sobre os homens presos na noite anterior, se trabalhavam para ele. Falcone responde que sim, mas não sabem disso, não precisa soltá-los, e Loeb fala que está entendido, encerrando em seguida a ligação.

Em uma clínica psiquiátrica chamada Asilo Arkham, um homem careca e com óculos redondos lê o jornal. O título da matéria qual está lendo é “Batman novamente, de que lado ele está?”. Seguindo o questionamento proposto pela matéria, o homem levanta-se de sua cadeira e caminha até a janela de seu escritório, onde põe-se a refletir sobre como seria esse tal Batman e como faria qualquer coisa para vê-lo e estudar o que passa em sua mente. Uma funcionária aparece em sua porta dizendo “Doutor Strange, o senhor Johnathan Crane mandou lembrar-lhe do seu horário de reunião” – avisa a moça. “Obrigado, avise ao senhor Crane que eu já estou indo.” – pede o Doutor Hugo Strange, inexpressivamente olhando de sua janela.

PersonagensEditar

CuriosidadesEditar

  • A cena de Batman confrontando os criminosos em cima do prédio em Gotham é uma referência a cena de introdução do filme "Batman" de 1989 dirigido por Tim Burton.
  • Quando Alfred fala, ironicamente, que Bruce deveria se isolar em uma caverna, é feita uma referência ao esconderijo clássico do Batman, a Batcaverna, já confirmada em futuros episódios.
  • A rivalidade desenvolvida entre Arnold Flass e Jim Gordon no episódio é uma clara alusão à graphic novel "Ano Um", de Frank Miller.
  • O episódio mostra pela primeira vez o Asilo Arkham, indicando que Jonathan Crane é o diretor da clínica e Hugo Strange o vice-diretor.