FANDOM


O Cavaleiro das Trevas
Origins-12
Informações Gerais
Série Batman: Origens
Arco A Ascensão
Número do Episódio 12
Sequência
Episódio Anterior Dois Lados da Moeda
Créditos
Escrito por JokerLeo
O Cavaleiro das Trevas é o décimo segundo e último episódio da série Batman: Origens.

SinopseEditar

O dia do julgamento de Salvatore Maroni finalmente chega e acaba sendo mais conturbado do que o esperado, resultando em um incidente com Harvey Dent. Enquanto isso, Batman arma um plano para acabar definitivamente com Carmine Falcone.

EnredoEditar

Outra manhã em Gotham City. Harvey Dent acaba de acordar no sofá da sua casa, ele lembra da noite anterior, onde perdeu completamente o controle sobre si. Antes de sair de casa, Harvey pega a sua moeda sobre sua mesa, como de costume. Sua mulher então chama por seu nome. Ela diz que não o viu chegar a noite e ficou preocupada, perguntando onde ele tivera ido. Harvey nada responde. Ela diz que está com medo dele ultimamente, não é mais o mesmo, o trabalho está acabando com ele. “Não é o trabalho, é essa cidade. Essa cidade acaba com qualquer um.” – Diz Harvey, logo em seguida saindo do lugar.

Salvatore Maroni também acorda em sua cela na prisão. Um dos policiais lhe avisa que neste dia será o seu julgamento. Maroni olha para o guarda e sorri, dizendo que estava aguardando a chegada desse dia.

Falcone está em seu escritório tentando ligar para Edward Nygma, mas este não atende. Nervoso, ele joga o telefone contra a parede, quebrando-o então. O mafioso tem estado tenso, não sabe ao certo o que está prestes a lhe acontecer. Ele então liga a televisão, onde, no noticiário, vê um anúncio que lhe chama atenção. Butch Gill aparece, dizendo que veio lhe avisar que hoje será o julgamento de Salvatore Maroni na corte de Gotham.

Na caverna abaixo da Mansão Wayne, Alfred pergunta a seu patrão o que ele faz ali tão cedo. “Hoje Maroni será preso. Se eu der sorte, Falcone também será. Estou tentando, de algum jeito, fazer isso. É pelo que tenho lutado durante todas as últimas semanas.” – Diz Bruce. Alfred pergunta o que ele pretende fazer. “Alfred, Falcone comprou policiais, vereadores, promotores, órgãos de comunicação... Gordon e Harvey não são mais o suficiente. O único modo de prender o Falcone é não entregando as provas aos poderosos da cidade, mas ao próprio povo de Gotham.” – Explica o milionário. Alfred questiona como ele pretende fazer isso, e Bruce diz que vai precisar de ajuda de Lucius Fox.

No Tribunal de Gotham, as pessoas vieram para assistir ao julgamento de Salvatore Maroni, inclusive o próprio Carmine Falcone está presente no lugar. “Meritíssimo, essas são falsas acusações. É óbvio que alguém está buscando sabotar-me.” – Dizia Maroni. O juiz dirige a palavra a Harvey Dent. “Bem, senhor Maroni, há algum motivo para alguém querer sabotar seus negócios? Por acaso o senhor tem alguma rivalidade por aqui em alguma área? Porque se alguém quer lhe derrubar, deve ter alguma intenção. Como ainda não foram dadas respostas claras acerca disso, presumo, senhor Maroni, que estejamos falando de alguma outra família mafiosa” – Diz Harvey. “Não posso afirmar nada, a esse respeito.” – Diz Maroni nervoso. O mafioso pega uma pequena amostra de ácido que tivera sido trazido por um de seus homens e a joga no rosto de Harvey Dent. Os seguranças do lugar levantam-se e seguram Maroni, indo socorrer Harvey e mandando que todos deixem o local.

No corredor do lugar, Falcone fala para Butch que Maroni irá, definitivamente preso. Butch pergunta se isso não seria bom, e Falcone diz que gostaria de se alegrar pela cadeia do seu maior rival, mas isso tudo mostra que o espaço para o crime organizado emGotham está sendo reduzido em Gotham. Pessoas como Harvey Dent são uma ameaça. Butch pergunta se deve fazer algo, e Falcone olha diretamente para ele e diz que Harvey Dent irá se recuperar de seja á o que Maroni tenha jogado em sua face, mas há algo de que não pode recuperar-se.

A noite chegou, e com isso chega a hora de o Batman agir. “Patrão Wayne, o senhor Fox chegou.” – Diz Alfred na Batcaverna, guiando Lucius Fox até Batman. “Fez um belo trabalho aqui, senhor Wayne. Por hora eu penso que estou numa espécie de esconderijo secreto, uma espécie de Batcaverna, e me dou conta de que realmente estou.” – Diz Fox. Bruce pede que o acompanhe, é quando lhe mostra um de seus computadores.

“Eu passei o dia hackeando sistemas até conseguir ter acesso total à TV Gotham. As provas contra Falcone devem ser exibidas daqui a uma hora e meia, no horário nobre.” – Explica Batman. “Deixe-me ver se entendi, você me trouxe até aqui para invadir um sistema de televisão para transmitir algo contra alguém? Está me pedindo que eu faça algo ilegal, senhor Wayne?” – Questiona Fox. “Essa é a única chance de derrubar a família Falcone, Lucius. Você disse que eu poderia contar com você.” – Afirma Batman. Fox suspira profundamente e diz que está bem, vai fazer isso, mas pede que nunca mais lhe peça para fazer algo fora da lei. Batman fica em silêncio e se retira. Fox senta-se na cadeira em frente aos computadores e Alfred pergunta “Café, senhor Fox?”

No hospital de Gotham, Gilda Dent espera fora do quarto por seu marido acordar. Um dos médicos aparece e diz que ainda haverão horas de cirurgia, pedindo que ela vá pra casa e descanse. Ao sair na rua, Gilda caminha chorando pela escuridão de Gotham. É então que um carro preto estaciona perto dela, de lá uma arma aponta para a mulher, e o gatilho dispara. O carro acelera e sai andando, deixando a mulher morta, caída no meio da rua.

Gordon chega ao hospital de Gotham para ver como Harvey Dent está. Ele acabou de acordar, mas ainda está com parte de seu rosto enfaixado. Gordon senta-se ao lado de sua cama e o cumprimenta. Harvey pergunta como termiou o julgamento. “Harvey, não vamos falar disso.” – Diz Gordon mas Harvey exige, e o policial conta que terminou bem, o Maroni está definitivamente preso, e o derrame de ácido só aumentou ainda mais a sua pena. Harvey pergunta por Gilda, e Gordon responde que falou com ela há algumas horas, ela passou a tarde ali no hospital. Gordon pergunta quando Harvey irá tirar seus curativos. O promotor responde que os médicos irão dizer.

É quando o telefone de Gordon toca e ele atende, era Harvey Bullock. “Gordon, acabei de achar a mulher do Dent baleada na rua 52, ela está morta.” – Diz o detetive. Gordon, assustado, pergunta se ele tem certeza, e Bullock responde que sabe o que é uma mulher morta, e manda que Gordon vá para o Departamento. Gordon desliga o telefone e diz a Harvey que precisa ir. Ele percebe que Gordon está suando e tremendo, e pergunta o que houve. Gordon, com uma voz trêmula, diz que não houve nada, e Harvey diz que será pior se ele mentir. Gordon então conta que Bullock acabou de ver Gilda. O policial segura a mão de Harvey e lhe conta que a sua esposa está morta. Harvey entra em pânico, e Gordon afirma que vai mandar algum médico ficar com ele. Harvey diz que não precisa, e manda que Gordon saia. “Harvey, eu sinto muito” – Diz Gordon, e Harvey grita mandando-o sair novamente, e o policial se retira.

Após Gordon sair, Harvey tem um ataque de fúria. Ele começa a gritar e a rasgar os curativos em sua cara. Nesse momento, ele anda cambaleando rumo ao banheiro, onde em frente ao espelho, termina de tirar os curativos em sua face, deparando-se com um rosto desfigurado, e furioso, gritando e em seguida chorando.

Na Batcaverna, como nomeada por Lucius Fox, Alfred e o engenheiro mecânico conversam. Alfred diz que sente medo de em algum momento, alguma dessas pessoas que Bruce combate acabar lhe fazendo algum mal, algo irreversível. Fox comenta que Bruce está sendo corajoso, e por mais paranoicas que sejam as suas atitudes, ele está fazendo a coisa certa. É então que os computadores da caverna recebem um sinal, e Alfred diz que está na hora.

Em segundos, as transmissões na TV Gotham são interrompidas, e uma tela preta surge com os áudios de Gillian B. Loeb e Arnold Flass. “Sim, chefe. Fico feliz de saber disso, feliz em saber que as coisas estão voltando aos seus eixos. Até mais.” – Dizia Loeb. “Quem era?” – Perguntava Flass. “Era o Falcone. Maroni está preso e logo o Falcone volta ao topo dos negócios de Gotham novamente, ele prometeu aumento no nosso cachê se tudo der certo.” – Conta Loeb. “Será que há riscos ainda?” – Pergunta Flass. “Não tantos, o Falcone comprou o Jeph Sale da promotoria e vários figurões da justiça de Gotham, estamos todos eob segurança” – Dizia Loeb.

As pessoas de Gotham estão assistindo isso. Falcone atende a uma ligação, onde Butch perguntava se seu chefe estava vendo aquilo, e ele responde que sim. No Arkham, o Doutor Hugo Strange fala que isso é fascinante. Em seu apartamento, Edward Nygma assiste atentamente à transmissão enquanto continua lendo seu livro de enigmas. Nos batidores da TV Gotham, o diretor pergunta o que está havendo, e os funcionários respondem que alguém invadiu o sistema. O diretor ordena que bloqueiem tudo e desativem essa transmissão o mais rápido possível. É quando vê o gráfico de audiência subindo e diz para pararem e deixarem ver até onde isso vai dar.

Agora, imagens aparecem, as imagens do depósito de Carmine Falcone levando seu dinheiro. “A venda de armas está tendo um grande faturamento, não podemos parar.” – Dizia Falcone ao lado de seu chefe de segurança, Butch. Falcone continua assistindo à transmissão pela televisão, e diz para Butch que eles terão que sair da cidade. “Falcone, ele está por trás disso tudo. A venda de armamento ilegal para grupos criminosos em Gotham City é a real fonte da fortuna dele e de sua família, mas por favor não me machuque.” Dizia um dos seus seguranças presos no depósito. A transmissão acaba, e as pessoas voltam assistir o que antes assistiam. Na Batcaverna, Fox desliga os computadores e diz que isso foi assustador.

Um carro sai da Mansão Falcone e é seguido pelo Batmóvel sem que seja percebido. Em um momento nas ruas de Gotham, Butch diz que estão sendo seguidos, e Falcone manda atirar. Butch olha pelo retrovisor e diz que é o Batman, e falcone manda acelerar o carro, e Butch assim faz, passando entre outros carros e entrando na rua à direita. Ele olha pelo retrovisor e percebe que o Batman sumiu. É então que o morcego salta em cima do carro, que acaba parando e Butch e Falcone saem dele, apontando as armas para o Batman. “Acabou, seu morcego desgraçado!” – Diz Falcone. Batman joga seus bumerangues nas mãos dos dois, fazendo-os derrubar suas armas. Ele avança contra Butch nocauteando-o e socando-o até derrubá-lo. É quando percebe falcone apontando uma arma para a sua cabeça e usa sua perna para derrubar Falcone, segurando-o e lançando uma corda para cima de um prédio, onde ele soca o mafioso fazendo-o derrubar sua arma e o encosta na parede, dizendo que Gotham não lhe pertence mais, as pessoas já sabem quem ele é, e as pessoas que comprou não lhe servem mais de nada.

Falcone cospe na cara do morcego e diz que Gotham é uma cidade podre e sempre será, se não por ele ou por Maroni, por mais alguém, mas sempre haverá alguém para manter a natureza horrenda dessa cidade maldita. “E é pra isso que eu estou aqui, diz Batman, prendendo-o a um farol apontado para os céus.

No dia seguinte, Bruce pega seu jornal e vê as últimas notícias. “Após transmissão na TV Gotham de origens desconhecidas, Falcone é encontrado preso a um farol no topo de um prédio em Gotham City e responderá por assassinatos, tráfico, corrupção e lavagem de dinheiro”. Bruce folheia o jornal, e Alfred diz que este é um bom dia para a cidade de Gotham, e Bruce confirma que com certeza é. “Esposa de Harvey Dent é assassinada, e algumas horas depois, o promotor desaparece do hospital onde estava internado.” – Dizia a matéria da folha seguinte.

Duas semanas depois, próximo a um farol que reproduz nos céus a forma de um morcego, Batman encontra Gordon. “às vezes eu preciso falar com você, e já que você nunca me deu seu telefone...” – Fala o policial. Batman cumprimenta o tenente, que afirma ter sido promovido a Capitão após a prisão de Flass. “Tem notícia de Harvey Dent?” – Pergunta Batman, e Gordon responde que infelizmente não, Harvey está realmente desaparecido, mas conta a Batman que algumas coisas estranhas tem acontecido no Asilo Arkham, alguns internos estão tendo ataques de fobias anormais, alguém deve investigar. O telefone de Gordon toca, e ele pede um tempinho. “... Química Ace?... Assalto? ... Tá, estou indo agora.” – Fala Gordon ao telefone, e ao virar-se para trás, ele vai contar ao Batman que um tal Capuz Vermelho está assaltando a indústria química Ace, mas percebe que o Batman sumiu. “É, é melhor eu me acostumar.” – Diz Gordon, desligando então o farol.

PersonagensEditar

CuriosidadesEditar

  • O final do episódio faz referência a Coringa e Espantalho.
    • A parte que Gordon fala que algumas coisas estranhas têm acontecido no Arkham com internos que têm fobia é uma referência clara ao Espantalho.
    • O assalto a Química Ace citado no episódio remete A Piada Mortal de Alan Moore, HQ famosa por contar a origem do Coringa como Capuz Vermelho.
  • O episódio tem inspiração dos filmes Batman Begins e The Dark Knight de Christopher Nolan e na graphic novel "O Longo Dia das Bruxas".
  • Uma cena de Harvey Dent aparecendo como Duas-Caras atacando Falcone estava sendo pensada, mas foi cortada para evitar que o episódio ficasse longo demais.