FANDOM


Medo do Escuro
Origins-10
Informações Gerais
Série Batman: Origens
Arco A Ascensão
Número do Episódio 10
Sequência
Episódio Anterior Sob as Asas do Morcego
Episódio Seguinte Dois Lados da Moeda
Créditos
Escrito por JokerLeo
Medo do Escuro é o décimo episódio da série Batman: Origens.

SinopseEditar

Salvatore Maroni é finalmente preso, o que leva Falcone de volta ao status de maior chefe do crime de Gotham City. Agora, Batman, Gordon e Harvey Dent terão que derrubar o mafioso para poder limpar a cidade.

EnredoEditar

Novo dia amanhece na cidade de Gotham City. Novamente, as pessoas saem de suas casas e vão buscar um jornal para ler. Na Mansão Wayne, Bruce Wayne abre o seu jornal e surpreende-se. Alfred pergunta se seu patrão tem alguma novidade sobre Carmine Falcone, e Bruce responde que não, mas mostra ao mordomo a primeira página do jornal, cujo título é claro e direto, “Promotoria de Gotham inicia mandato de busca de Salvatore Maroni”.

Em sua mansão, o mafioso vê a polícia cercando sua casa. Seus homens, armados, perguntam se devem agir, e o mafioso diz que isso criaria um grande alarde, devem ser cautelosos. O Capitão Arnold Flass surge com os papéis, dizendo “senhor Salvatore Maroni, o senhor está preso”. O mafioso diz que deve ter havido algum engano, e Flass nega, dizendo que a promotoria já está certa do que sabe, irão resolver isso no tribunal. Os policiais algemam Maroni, o põem dentro do carro e o levam embora.

Uma grande gargalhada é ouvida. Trata-se de Carmine Falcone em sua mansão, acompanhando tudo pelo rádio em seu escritório. Ele comenta com Butch Gill, seu chefe de segurança, que o tal Charada parece realmente saber o que faz, e agora com a concorrência indo em cana ele pode voltar a reinar sobre Gotham.

No DPGC, Salvatore Maroni é levado para sua cela. Gordon pergunta ao Comissário Loeb por quanto tempo o mafioso ficará ali, e Loeb diz que ficará até seu julgamento que deve acontecer em breve, depois disso ele será mandado para a prisão oficialmente. Flass diz que acabaram de botar um chefão do crime atrás das grades como nos velhos tempos, e diz que vai pagar bebida para todo mundo naquela noite.

“Não banque o bonzinho, seu imbecil. Todos aqui sabemos que a prisão de Maroni torna-se mais interessante, acima de tudo, para Falcone e os babacas que trabalham pra ele. Quer comemorar? Comemore quando estiver a corja toda na cadeia, se você tiver coragem de manda-los para lá, Capitão!” – Diz o Detetive Harvey Bullock, retirando-se do lugar enquanto todos olham para ele.

O promotor Harvey Dent anda pelas ruas no centro de Gotham City quando ouve seu celular tocando. Ao atender a ligação, o promotor fala com sua esposa, Gilda Dent. Eladiz que viu os jornais e parabeniza seu marido pelo seu trabalho. Harvey agradece e diz que a ama muito e estará indo para casa mais cedo. Sua esposa fica feliz ao saber, dizendo que vai estar esperando. Logo em seguida, Harvey Dent desliga o seu telefone e entra em um restaurante.

No lugar, Harvey senta-se no balcão e pede que o garçom lhe traga uma limonada. “Olhem só quem está aqui! O homem que botou o maior inimigo dessa cidade atrás das grades!” – Diz uma voz por trás do promotor, que ao se virar, depara-se com Carmine Falcone lhe cumprimentando. Sem reação, o promotor afirma que Maroni é um peixe pequeno, e ele ainda não foi oficialmente preso. “Mas será!” – Contesta Falcone, perguntando se pode pagar a Dent alguma coisa. Harvey agradece e diz que o garçom já está trazendo o que pediu. O garçom deixa a limonada de Dent em sua frente.

O promotor diz que não cai em chantagens de pilantras, e fala que o Maroni na cadeia pode ser um alívio para a Família Falcone, mas não vai durar muito. Falcone sorri e põe a mão sobre o ombro de Harvey Dent, aproximando-se e sussurrando. “Há exatamente 2 vereadores nesse mesmo restaurante, 1 secretário e 3 policiais, não pense que eu hesitaria em estourar seus miolos na frente de todos eles aqui e agora, senhor Dent. Tome cuidado com quem você fala, eu não sou Salvatore Maroni.” – diz o mafioso. Dent toma sua limonada, paga sua conta e sai do local sem olhar para Falcone.

No Departamento de Polícia, Salvatore Maroni está sendo interrogado por Jim Gordon. O policial pergunta se Maroni nega as acusações contra ele e o mafioso diz que já não dá mais para negar nada a este nível. Gordon pergunta a quem tanto ele vendeu suas armas, e Maroni responde que vendeu a todo tipo de gente em Gotham City, dentre meros civis, criminosos, figuras públicas, comerciantes e exportadores. Gordon diz que isso bate com as provas que lhe foram entregues, o policial agradece a cooperação do mafioso e diz que o interrogatório acabou. Maroni diz que gostaria de pedir algo a Gordon, e o policial questiona o que seria, e o mafioso responde que gostaria de fazer um telefonema para o seu advogado, e Gordon aceita.

“Alô, sim! Sou eu, Maroni! Gostaria de lembra-lo para levar o que eu pedi para o meu julgamento amanhã na suprema corte de Gotham City! Sim! Exatamente! Ótimo. Muito obrigado.” – diz o mafioso ao telefone, e logo em seguida, ele é levado de volta para a sua cela.

A noite chegou novamente, e Harvey Dent está chegando em sua casa. Ao abrir a sua porta, o promotor é abraçado por sua esposa Gilda, que diz que estava lhe esperando. Harvey põe a mão no rosto de Gilda e diz que a ama muito, e lhe diz que tem medo de perde-la, tem medo de que as pessoas a quem ele pode representar uma ameaça acabem lhe fazendo algum mal. Gilda diz que não tem esse medo, e que vai estar sempre ao seu lado não importando o que pense. Harvey tira do seu bolso a sua moeda e põe sobre a mesa ao seu lado, beijando a sua esposa.

Na Mansão Wayne, Alfred ouve seu rádio como todas as noites. “São agora 19 horas e 52 minutos, logo em breve o Batman pode aparecer nos telhados de Gotham City! Hoje vamos trazer aqui para uma entrevista o doutor Hugo Strange, psicólogo e vice-presidente do Asilo Arkham para falar um pouco sobre o homem-morcego que tanto tem se falado na cidade!” – Anuncia o jornalista pelo rádio. Alfred chama seu patrão, dizendo que isso pode ser interessante, mas percebe que ele não está em casa.

“Boa noite, ouvintes, sou o Dr. Hugo Strange! Trabalho no Arkham há 11 anos e pra mim é uma grande honra estar aqui essa noite. Desde os primeiros relatos de sua aparição, venho estudando o tal Batman, buscando entender o que se passa na sua mente, o que realmente ele é, pois somos o que pensamos. Em uma certa noite, acabei sendo salvo por ele enquanto estava indo para casa, quando o vi, tive toda e qualquer certeza de que era um homem, mas um homem com uma mente extraordinária!– afirma o Doutor Strange. Um grupo de 3 criminosos chega a um prédio abandonado com malas cheias de dinheiro roubado. Eles ouvem um barulho de uma sala, e eles pedem que um deles vá olhar o que é, mas este fica um pouco espantado, e outro desses diz que irá, preparando já sua arma.

“Para mim, o Batman parece encaixar-se perfeitamente com Gotham. Para mim, o Batman parece ser a encarnação de toda a densa atmosfera de Gotham em um só ser, de fato, quando falamos do Batman, estamos falando de alguém que conhece Gotham, e conhece, inclusive, o seu lado sombrio.” – Continua o Doutor Hugo Strange em sua entrevista na rádio.

O criminoso chega há um quarto escuro e bagunçado, quando vê alguém em um canto e aponta a arma para este, que revela-se o Batman, e em seguida vários morcegos avançam contra o homem derrubando-o e voando por todo o prédio.

“Então o senhor acha que o Batman pode ser alguém tão traumatizado pela situação de Gotham que decidiu tomar alguma atitude, Doutor Strange?” – pergunta o jornalista.

No prédio onde os morcegos percorrem, eles atacam os outros três criminosos também, que são forçados a deixarem o lugar e o dinheiro. Os três bandidos fogem do prédio, e ao saírem, encontram-se cercados pela polícia de Gotham.

“Não, eu não acho. Eu tenho certeza. Mas até onde esse trauma pode leva-lo, isso eu não sei.” – Finaliza o Doutor Hugo Strange a sua entrevista na rádio de Gotham. “Bem, agora são 20 horas e 20 minutos, tenham todos uma boa noite!” – Encerra o jornalista o seu programa. Alfred desliga seu rádio e sai andando pela Mansão Wayne.

No DPGC, Gordon vê Loeb saindo da sua sala. O Departamento está com poucas pessoas, no momento, e o tenente aproveita a oportunidade. Ele entra no escritório do Comissário sem que ninguém lhe veja e retira de lá a escuta que tivera colocado a pedido do Batman. Ele a põe em seu bolso e sai do local. Quando vai saindo, Loeb acaba o encontrando e perguntando o que estava fazendo, e Gordon diz que foi até sua sala para perguntar se já estava dispensado, mas viu que não estava. Loeb diz que sim, está dispensado, e Gordon agradece, saindo do local e desejando a Loeb uma boa noite enquanto o Comissário nada responde, apenas observa Gordon.

PersonagensEditar

CuriosidadesEditar

  • A cena em que Falcone diz no restaurante que não hesitaria em matar Dent é uma referência a cena de Batman Begins que ele diz basicamente a mesma coisa com Bruce Wayne.