FANDOM


Legado das Estrelas
TMOS-3
Informações Gerais
Série Superman: O Homem de Aço
Arco O Nascer do Sol
Número do Episódio 3
Sequência
Episódio Anterior Origens Secretas
Episódio Seguinte Bem-Vindo a Metrópolis
Créditos
Escrito por JokerLeo
Legado das Estrelas é o terceiro episódio da série Superman: O Homem de Aço.

SinopseEditar

Em uma viagem para o Ártico, Clark descobre mais sobre o seu passado e sobre o mundo de onde veio. Isso o motiva a se tornar a esperança do planeta Terra, se tornar um super-herói.

EnredoEditar

Clark Kent agora tem 28 anos de idade e está prestes a terminar sua faculdade de jornalismo, para isso, ele está fazendo uma matéria sobre o Polo Norte. “Apesar da estranheza nos primeiros dias, tenho encontrado nesse lugar uma grande calma e tranquilidade. É como se aqui no Ártico fosse o gélido coração da Terra, mas ainda assim, uma beleza que parece ser de outro mundo.” – Diz Clark em seu trabalho.

Anoiteceu e a equipe que está com Clark nessa expedição está acampando ali. Um dos colegas de Clark o vê afastado olhando para os céus, e pede para que ele aproxime-se para ficar um pouco com eles. Um outro colega diz que todas as noites ele observa as estrelas, deve ser alguma mania estranha do Kansas.

“Eu poderia ter escolhido tantos outros lugares para estar. Alguns colegas foram fazer pesquisas na América Latina, outros foram conhecer a África. Mas depois de tantos anos procurando, sinto que estou mais perto que nunca de conhecer a minha origem.” – Reflete Clark enquanto olha para os céus. Ele diz para seus colegas que precisa passar um tempo sozinho e caminha.

Ele caminha por horas, até mesmo subindo a um monte. Foi ali que disseram ter visto algo estranho, mas que nada nunca foi realmente encontrado. Ao chegar lá, Clark sente frio. O lugar é gelado demais até para ele. O homem olha ao seu redor e não encontra nada. Enquanto continua caminhando, acaba escorregando e caindo em uma caverna. Lá dentro, no escuro, Clark encontra algo que parece ser um caminho, e usando sua super-visão, consegue ver que há algo enterrado lá embaixo.

No acampamento, os colegas de Clark percebem a demora de Clark. Um deles pergunta se Clark tivera sido devorado por algum urso, e outro diz que é mais fácil o Clark devorar o urso, afirmando que ele deve voltar mais cedo ou mais tarde.

Na caverna, Clark se depara com uma grande nave alienígena. Ele sente-se assustado, mas aproxima-se para ver melhor. Ao chegar perto, a nave se abre. Ele entra lá dentro e observa o quão inusitado é aquilo. Ele encontra um painel com uma pequena entrada. Ele assimila a entrada a uma chave que encontrou dentro do foguete que o trouxe, e a encaixa. Nesse momento, uma voz o chama pelo nome de Kal-El, assustando-o.

“Quem é você?” – Pergunta Clark ao olhar para trás e ver um estranho homem que não estava ali antes. “Meu nome é Jor-El, eu sou seu pai” – Afirma o homem. Clark está confuso, e Jor-El lhe explica melhor. “Eu posso ver que você cresceu, que você sobreviveu. Tornou-se um grande homem.” – Afirma Jor-El. Clark pergunta por que o mandou para a Terra e de onde ele é. “Somos de Krypton, um planeta extinto. Há muito tempo, eu descobri que o núcleo do planeta estava prestes a se destruir acabando com toda a vida dali. Eu e sua mãe, Lara, buscamos um meio de garantir a sobrevivência de nossa espécie, e enviamos você, a nossa última esperança, para isso. Te mandamos para a Terra, onde o Sol amarelo lhe fortificaria e faria com que você pudesse viver de maneira saudável.” – Afirma Jor-El. “Então você está me dizendo que eu sou o último de minha espécie? Você.. Você está morto? Como isso é possível?” – Pergunta Clark. “Sim, eu estou morto como sua mãe e toda sua espécie. Porém, a partir do momento em que você encaixou a chave de comando ao painel de controle dessa nave, foi criado um campo que ultrapassa os conceitos primitivos de material e imaterial, de vida e de morte. Nesse momento eu não estou vivo, mas também não estou morto.” – Afirma Jor-El.

“Kal-El? Este é meu nome?” – Pergunta Clark, e Jor-El confirma, comentando que foi a sua mãe Lara quem escolheu. Clark observa o símbolo no peito de Jor-El e pergunta o que é isso. “É o símbolo da casa de El, serve para identificar a família, para marcar a origem.” –Explica Jor-El. Clark fica em silêncio um instante, e questiona o que essa nave faz ali no Ártico, e Jor-El responde que não faz a mínima ideia. “Você deve se sentir confuso nesse momento, e eu te entendo completamente. Eu e sua mãe daríamos tudo para estarmos com você, mas foi isso que a natureza reservou para a nossa espécie. Kal-El, ou seja qual for o nome que tenham te dado na Terra, tudo que você precisa entender é que se te mandamos para esse planeta, é porque te amamos. Você foi a minha maior esperança, e você é o meu maior orgulho. Você é o meu herói. Guie esse mundo, Kal, guie a Terra, seja a esperança deles, seja o orgulho deles, seja o herói deles. ” – Conclui Jor-El.

Algumas semanas depois, em Smallville, Clark é recebido por seus pais. Ele diz que o trabalho recebeu pontuação máxima e Martha afirma que está orgulhosa, e Jonathan sorri para Clark, dizendo que durante esse mês que passou fora, não havia uma noite em que Martha não cantasse as músicas que cantava quando ele era pequeno. Clark sorri e pergunta se não vão chama-lo para jantar.

Após o jantar, Clark comenta que sentiu falta da comida de sua mãe. Ela agradece e diz que está na hora de ele dormir, deve estar cansado da viagem. Antes de ir, Clark diz que precisa conversar algo. Martha e Jonathan perguntam o que é. Clark afirma que conheceu seu pai, e o sorriso no rosto de Jonathan e Martha desaparecem.

“Eu encontrei uma nave lá no Ártico, e consegui me comunicar com ele. Mãe, pai, ele me disse que eu sou o último de minha espécie. Eu vim de um planeta chamado Krypton, e esse planeta acabou sendo destruído. Foi por isso que me mandaram para cá, eles tinham esperança de que eu pudesse garantir a sobrevivência de nossa espécie.” – Afirma Clark. “Então você quer dizer que você é um...kryptoniano?” – Pergunta Martha. “Sim, quer dizer, não. Eu sou um humano...Eu não sei. Eu quero ser mais que um humano...E mais que um kryptoniano. Vocês me ensinaram valores, eu quero segui-los. Eu descobri quem sou e o que posso fazer, quero usar isso para ajudar as pessoas. Eu fui a esperança dos meus pais de Krypton, e eu quero ser a esperança da humanidade.” – Afirma Clark. Seus pais se levantam e saem de lá, desejando a Clark uma boa noite sem falar mais nada.

No dia seguinte, Clark está na fazenda olhando para as coisas ao seu redor e brincando com o cachorro da família, o Ferrugem, quando seu pai chega. Ele põe a mão sobre seu ombro e diz que eles precisam conversar. Clark pede que seu pai se sente ao seu lado, e os dois sentam-se na grama. “Clark, a sua mãe está com medo. Ela disse que sente medo de você acabar sendo algo demais. Durante tantos anos, nós o escondemos e ensinamos a se esconder. Temos medo de como a humanidade vai reagir a isso.” – Afirma Jonathan. “A humanidade é tão frágil, pai. Eu posso ajuda-los, eles vão entender. Já ouvi falar que existem outros heróis, tipo um cara lá em Gotham City que tem aparecido desde uns anos atrás.” – Afirma Clark. “É uma lenda urbana, as pessoas de Gotham são meio loucas. Clark, você é poderoso demais, meu filho. Já imaginou o que iam pensar de um “super-homem” por aí?” – Questiona Jonathan. Clark fica um tempo em silêncio e pede que Jonathan lhe dê a mão, ele vai lhe mostrar algo que aprendeu um tempo atrás.

Jonathan assim faz e os dois ficam de pé. Clark pega um impulso e voa segurando seu pai. Jonathan fica com medo e Clark sorri, dizendo que não precisa temer. Lá do alto, Jonathan olha para o chão e pergunta o que está fazendo. “Eu sei que o seu sonho de infância era voar, pai. Eu estou realizando isso. Jonathan sorri, e Clark o segura em seus braços, voando mais para longe. “Clark, filho, é isso que você quer?” – Pergunta Jonathan. “Sim, pai, é o que eu quero.” – Responde Clark.

Mais tarde, em casa, Martha pergunta se é desse jeito mesmo que ele quer. Clark responde que sim, mostrando a ela um projeto do seu traje heroico. Martha diz que precisa de um bom material para fazer isso. Heróis tem que ter uma roupa resistente. Jonathan, que estava ouvindo a conversa, diz que tem uma ideia de que material usar. Ele traz grandes panos nas cores vermelho e azul, com o símbolo de El no centro. Clark pergunta onde seu pai achou isso, e Jonathan responde que estava no foguete, é uma espécie de manta.

Jonathan pergunta como Clark pretende ser um jornalista e salvar o mundo, e o filho responde que a profissão vai lhe favorecer, assim ninguém vai suspeitar se encontra-lo em situações de perigo. Martha diz que ele vai precisar de uma máscara no traje se quiser esconder quem é. “Talvez não devamos esconder o herói, e sim o Clark Kent” – Diz Jonathan, que coloca o seu óculos no rosto do seu filho. Ele mexe no cabelo de Clark e curva um pouco as costas do filho. “Seus olhos são azuis demais, o óculos deve ajudar a disfarçar, e o cabelo desse jeito também deve diferenciar um pouco. E fica com as costas assim, te dá uma aparência desleixada. Já que o Superman não pode ser desleixado, o Clark Kent pode.” – Afirma Jonathan. “Superman?” – pergunta Clark. “É, não gostou?” – Questiona Jonathan, e Clark sorri.

Martha costura, e depois de horas, consegue fazer um traje para seu filho. “Eu achei esse “S” bonito, quis colocar no peito, fica charmoso.” – Diz ela. Ela entrega para ele e pede que vista. Alguns minutos depois, Clark aparece trajado. Ele diz que fica meio colado, mas está ótimo. “Meu herói” – Diz ela. Jonathan chega naquele momento e diz “nosso herói”. Clark os abraça e sorri, afirmando que eles são os seus heróis.

PersonagensEditar

CuriosidadesEditar

  • O título do episódio é uma referência à HQ de Mark Waid Superman: O Legado das Estrelas, a qual o episódio tem várias referências.
    • Nas primeiras edições da HQ, temos Clark buscando convencer Jonathan de que será um super-herói.
    • Nessa HQ, é mostrado Martha criando o traje para o Superman.
    • Nessa HQ, há uma cena em que Clark voa segurando seu pai.
    • Nessa HQ, Jonathan também cria o visual de Clark Kent como civil.
    • No início da HQ, Clark estava fazendo um trabalho de jornalismo na África, e embora aqui tenha sido movido para o Ártico para ligar melhor a história, ele também está fazendo um trabalho de jornalismo.
  • A cena em que Clark encontra Jor-El foi inspirada numa cena semelhante do filme Homem de Aço (2013).
  • No episódio temos a primeira referência a outra série do UDCF, no caso Batman: Origens, quando Clark cita um morcego de Gotham que tivera feito aparições desde alguns anos atrás, referindo-se claramente ao Batman.
    • Nessa mesma cena, é mostrado que as pessoas de fora de Gotham acreditam que o Batman deva ser uma lenda urbana, pois acreditam que as pessoas de Gotham sejam loucas, o que faz referência também ao fato de grande parte dos criminosos de Gotham terem distúrbios mentais.