FANDOM


Dois Lados da Moeda
Origins-11
Informações Gerais
Série Batman: Origens
Arco A Ascensão
Número do Episódio 11
Sequência
Episódio Anterior Medo do Escuro
Episódio Seguinte O Cavaleiro das Trevas
Créditos
Escrito por Usuário:JokerLeo
Dois Lados da Moeda é o décimo primeiro episódio da série Batman: Origens.

SinopseEditar

Batman, Gordon e Dent finalmente possuem provas contra Falcone. Harvey Dent tenta iniciar um mandato de prisão, mas acaba falhando, o que o leva a buscar mais informações por conta própria.

EnredoEditar

Noite em Gotham City. Carmine Falcone bebe solitariamente em sua mansão. “Ainda de pé, senhor?” – Pergunta Butch Gill, segurança da mansão. O mafioso fica em silêncio, e pede que sente-se e beba um pouco com ele. Butch assim faz. Falcone lhe fala que por mais que tenha sido o responsável pela prisão de Maroni, ele é a prova perfeita de que não se está completamente seguro em Gotham City, de que há possibilidades de se derrubar o crime organizado, os tempos estão mudando em Gotham City. Butch fica em silêncio e os dois continuam beber.

Um homem caminha pelo beco de Gotham próximo ao DPGC. “Está atrás de mim, Tenente?” – Pergunta o Batman no meio das sombras. O homem tira seu chapéu, mostrando-se Jim Gordon. “Sim, Batman, eu estou, e não estou só.” – responde o Tenente, aparecendo o promotor Harvey Dent logo em seguida. “Meu Deus!” – Diz Harvey com expressão de surpresa. Gordon explica que conseguiu retirar a escuta da sala do Loeb. Batman fica em silêncio, e pergunta o porquê de ter trazido Dent até ali.

“Eu pedi, Batman. Estamos juntos nisso, você cruza a linha que não podemos cruzar, mas não pode fazer o que nós fazemos. Você veste um capuz para brigar com criminosos, mas só nós podemos prendê-los.” – afirma Dent. Batman pede o chip a Gordon, que lhe entrega. “Penny-1, copie o arquivo DC27-1939 para o sistema”. Ele pressiona o chip e no mesmo momento, Alfred, da caverna, copia o arquivo. Batman entrega-o a Harvey e diz “faça o que for preciso, eu acredito em você.”

Outro dia nasce em Gotham. As pessoas vão para seus trabalhos novamente desacreditadas. Em sua casa, Harvey Dent abraça sua esposa antes de ir para o prédio da promotoria. Em seu ouvido, ele diz a ela que vai livrar essa cidade dos criminosos, vai devolver Gotham ao povo. Ela diz para ele tomar cuidado. Ele fala que está atrasado e pega a sua moeda sobre a mesa, saindo em seguida no seu carro.

Algumas horas depois, no escritório de Jeph Sale, superior de Harvey Dent, o promotor de justiça apresenta sua denúncia contra Carmine Falcone. Sale lê os papéis, e nega a permissão para abrir a denúncia contra o mafioso. Harvey questiona o porquê, e seu superior explica que esse é um caso de grande complexidade e envolve autoridades como o Comissário Loeb. Harvey diz que possui faixas de áudios diretamente retiradas do gabinete do Comissário, por menos que isso, Salvatore Maroni foi preso. Jeph Sale diz para Harvey sair do lugar, e Harvey assim faz. Ele se retira dali furioso.

Na Mansão Falcone, seu telefone toca. “Alô, senhor Falcone, aqui é o chefe da promotoria Jeph Sale. Harvey Dent está com arquivos que podem comprometê-lo, senhor, e também aos seus aliados.” – afirma Jeph ao telefone. Falcone agradece e desliga o telefone. Ele chama Butch Gill até seu escritório, onde lhe diz que Harvey Dent está os ameaçando. Butch pergunta se deve executá-lo, e Falcone diz que Harvey é ousado demais, não deve estar agindo só, deve estar trabalhando com o Tenente e com o Morcego, e executá-lo seria apenas criar alarde, então pede para que Butch dê apenas um susto no promotor.

Em seu escritório, Harvey encontra algumas informações. Ele descobre sobre um depósito que Falcone frequenta uma vez a cada mês, uma propriedade sua que nunca foi alugada ou vendida. O promotor olha para sua moeda e em seguida continua sua pesquisa.

Na Batcaverna embaixo da Mansão Wayne, Alfred questiona se o Batman também está atuando de dia. Bruce fala que as vezes o Batman precisa fazer hora extra. Ele explica ao seu mordomo que algumas pesquisas indicam um possível lugar, um de seus prédios, um depósito. Este tem segurança máxima e nunca foi alugado, mas o próprio Falcone o frequenta ao fim de cada mês. No restante do tempo, o prédio é cercado por seguranças que trabalham em seu nome, o que há dentro do prédio é uma incógnita. Alfred pergunta o que isso significa, e Bruce diz que Falcone é procurado e tem muitos inimigos, ele não pode manter seu dinheiro em nenhum banco de Gotham, invés disso usa uma instalação própria e segura para manter o seu dinheiro em segurança.

Está anoitecendo e Harvey está chegando em sua casa. Ao entrar, parece que sua casa está vazia. Ele caminha por lá, e amedrontado, tira a sua arma de seu bolso. Ele grita pelo nome de sua esposa Gilda, e acaba achando-a amarrada no seu quarto com manchas de espancamento. Harvey corre e a solta, perguntando o que foi que lhe aconteceu. “Vários homens entraram aqui. Eles me bateram, me amarraram e me jogaram aqui, disseram para deixar os Falcone em paz!” – Conta a mulher chorando. Harvey a abraça nervoso e diz que vai ficar tudo bem. Ele pega sua moeda, joga-a para o alto e apanha em sua mão, mostrando o lado onde há uma cara arranhada.

No beco próximo ao DPGC, Gordon e Batman se encontram novamente. “Olha, está ficando perigoso você aparecer assim por aqui, se o pessoal do Departamento descobre eles me matam.” – Diz Gordon. Batman pede respostas sobre Harvey Dent, e Gordon responde que não teve notícias de Dent desde a noite anterior. Batman pergunta se Gordon não poderia entrar em contato com ele, e Gordon responde que sim.

Ele liga para o promotor perguntando sobre Falcone. “Vieram atrás de minha mulher, Gordon! Eu tentei acabar com eles, mas ele comprou meus superiores e veio atrás de minha mulher!” – Dizia o homem desesperado. Batman toma o telefone de Gordon. “Harvey, cadê você?!” – Pergunta o homem-morcego. “Eu vou acabar com Falcone, vou direto no lugar onde mais lhe dói, no seu bolso!” – Diz o promotor, encerrando o telefonema logo em seguida.

Harvey está chegando no depósito de Falcone em seu carro. Um dos seguranças aproxima-se do carro. Harvey joga a sua moeda para o alto, e quando o segurança chega mais perto, Harvey atira em sua perna o derrubando. Outros 4 seguranças ali se armam e preparam-se para atirar, é quando Harvey acelera o seu carro para cima dos criminosos, atropelando-os. Harvey sai do seu carro ainda segurando sua arma com uma mão e sua moeda com a outra. Ele a joga novamente para o alto. Enquanto isso, um dos seguranças derrubados pelo carro está prestes a atirar no promotor, é quando alguém aparece empurrando Harvey e o salvando do tiro, o Batman.

Ele joga uma cápsula de gás próximo ao criminoso, o que o faz desmaiar imediatamente. Harvey vai fugir, quando Batman o segura. “Harvey, você machucou 5 pessoas, há mais seguranças lá dentro esperando por você!” – Diz o homem-morcego. “Diferente de minha mulher, eu estou pronto para todos eles!” – Afirma Harvey. “Você não matou ninguém ainda, Harvey, e nem vai. Deixe-me tomar conta da situação, essa é nossa última chance de derrotar Carmine Falcone.” – Diz o Batman. Harvey guarda sua arma e vê Batman correndo.

“O Batman? Não! É só um idiota!” – Diz um criminoso dentro do prédio, onde junto a outros está armado e preparado para atirar. As luzes se apagam e vários dos bandidos são socados e derrubados, outros que estão de pé começam atirar na sombra que está os perseguindo mas não conseguem e são acertados pelas costas. Sobra um de pé. “Esse prédio é de segurança máxima, como entrou aqui?!” – Questiona o criminoso. Batman o acerta pelas costas derrubando-o e diz que Falcone precisa melhorar a sua segurança máxima. Ele ascende as luzes e vê pilhas enormes de dinheiro no local. Ele olha ao seu redor e vê as câmeras de segurança. Em seguida, segura um dos criminosos que atacou, fazendo-o acordar.

Ele o encosta na parede, pressiona um botão em seu cinto ativando um gravador de voz e manda falar de quem é todo esse dinheiro e para quem trabalha. O criminoso tira do bolso uma cápsula suicida, mas Batman bate em sua mão fazendo-o derrubá-la. Ele pergunta mais uma vez de quem é o dinheiro, e o criminoso responde que é do “Romano”. “De quem?!” – Pergunta novamente. “Falcone, Carmine Falcone.” – responde o criminoso. Batman o soca novamente e o larga no chão. Ele vai até a câmera de segurança e retira a sua fita, colocando-a no bolso do seu cinto. Do lado de fora, ele percebe que Harvey não está mais lá. Ele atira um de seus bumerangues na câmera que filmava o lado de fora do depósito, a destruindo.

Ele entra no Batmóvel que deixou ali perto e sai do lugar. No caminho, ele comunica-se com Alfred, dizendo que conseguiu o que queria, Falcone não tem mais pra onde ir.

PersonagensEditar

CuriosidadesEditar

  • O arquivo DC27-1939 do áudio de Loeb e Flass entregue ao Batman no começo do episódio é uma referência à primeira HQ com aparição do Batman, Detective Comics #27, que lançou no ano de 1939.
  • O nome de Jeph Sale, superior de harvey Dent, é uma referência a Jeph Loeb e Tim Sale, criadores de "O Longo Dia das Bruxas", história que mostra a transformação de Harvey Dent no Duas-Caras.