FANDOM


Aliados
Origins-8
Informações Gerais
Série Batman: Origens
Arco A Ascensão
Número do Episódio 8
Sequência
Episódio Anterior A Queda do Império
Episódio Seguinte Sob as Asas do Morcego
Créditos
Escrito por JokerLeo
Aliados é o oitavo episódio da série Batman: Origens.

EnredoEditar

Outra noite em Gotham City. Em cima de uma torre, ao lado de gárgulas, o Batman vigia a sua cidade. Ao longe, ele ouve um alto barulho, uma joalheria sendo assaltada. Ele salta da torre que estava e abre as asas de sua capa, criando a figura de um morcego.

O assaltante, nervoso ao ver o Batman, põe uma arma apontando para a cabeça do dono da loja, que lhe implora por misericórdia. O criminoso ordena que Batman ponha as mãos para o alto, e Batman assim faz, mas deixando cair pelo chão uma “bomba” de gás que libera uma névoa. Nesse instante, o dono da joalheria escapa dos braços do criminoso e foge. A polícia chega ao local e manda o Batman ficar parado, entre eles Gordon e Flass.

O vigilante usa a mesma bomba de gás e cria uma nova camada de névoa, usando a oportunidade para, com sua corda, tentar fugir. Policiais o seguem sob o comando de Arnold Flass, que ordena que não o deixem fugir, não dessa vez. Os policiais vão pelas ruas perseguindo o vigilante enquanto ele pula sobre os prédios.

Despistando-os na sacada de um apartamento em um beco escuro, Batman suspira aliviado, mas ao virar-se para trás encontra Gordon. O policial, armado, o encara, mas baixa sua arma e diz que queria agradecer por ter tentado tornar essa cidade um lugar melhor. Batman fica em silêncio e some com sua corda quando outro policial se aproxima, encontrando Gordon sozinho, afirmando que não há nada ali.

Na manhã seguinte, Bruce Wayne depara-se com outro cartão a sua porta. “Quem vigia os vigilantes?” questionava esse papel, obviamente referindo-se à liberdade do Batman, um vigilante noturno, agir sobre Gotham como bem entendesse. Bruce o guarda e Alfred pergunta se seu patrão não consegue mesmo imaginar o porquê de fazerem isso. Bruce responde que realmente não sabe, mas é questão de tempo.

No Departamento de Polícia de Gotham City, Flass e Loeb conversam em sua sala. Flass comenta que ficou sabendo que o Falcone não está mais mandando mercadoria às docas, parece estar com medo do que o morcego possa fazer. Loeb diz que isso não lhe importa, podendo pagar-lhe bem nada importará. “Acontece, comissário, que isso não é só. O Batman realmente está batendo de frente com o Falcone, não sabemos por quanto tempo ele estará seguro, muito menos nós, e está difícil manter o trabalho do Falcone em segredo com o morcego na nossa cola” – fala o capitão. Loeb fica em silêncio e questiona se essa não seria a hora de larga-lo e tentar negociar com Salvatore Maroni. “Eu não sei. Falcone poderia acabar facilmente conosco se o traíssemos, ainda mais tratando-se de Maroni. Talvez o Salvatore pudesse nos proteger, mas se o Batman consegue derrubar Falcone, então seria questão de tempo para ir atrás de Maroni” – explica Flass. Loeb fica alguns segundos em silêncio, e afirma que o tempo trará a resposta.

Falcone está em sua mansão, desesperado, ele pega seu telefone e liga para seu estrategista, Edward Nygma. “Exijo resultados, senhor Nygma, estou lhe pagando para descobrir quem é o Batman” – declara o mafioso. Nygma, com seu livro de charadas em sua mão em seu apartamento, diz que isso é questão de tempo, o Batman está sendo pressionado. Falcone diz que cada segundo conta enquanto o morcego estiver com seus arquivos, pois tem gente ganhando em cima disso. “Então temos que fazê-los deixar de ganhar, o caso Batman exige tempo e paciência.” – afirma Nygma. Falcone conta que após Batman ter sumido com os arquivos comprometedores, se tornou mais difícil arranjar compradores, a maioria agora é aliado de Maroni por segurança. “Pessoas inteligentes, seria uma ótima atitude de se tomar, se Maroni também não estivesse comprometido.” – afirma Nygma. Falcone questiona se Batman também pode ser uma ameaça para Maroni, e Nygma responde apenas “Não, mas eu posso”.

No bar de Jack nos subúrbios de Gotham, Bullock toma uma cerveja. Jack questiona sobre o tal “morcego de Gotham”, que parece estar dando bastante trabalho. Bullock fala que nem tanto, queria ver Falcone se ferrar e está vendo. “Informação gratuita, Bullock, o senhor Maroni está recebendo muito bem com isso, parece que o Falcone está se tornando um negociador complicado no Mundo do crime de Gotham City, as pessoas tem medo de negociar com gente que possa estar comprometida, e o barquinho do Falcone vai afundando cada dia mais.” – conta Jack.

Bullock toma outro gole de sua bebida, e Jack questiona, “será que Falcone poderia mesmo ir preso com tanto apoio que comprou em Gotham?”. Bullock responde que é uma boa pergunta, existe muita gente podre nas asas do Falcone, mas nos tempos atuais, as pessoas tem medo é do Batman, não do Falcone. Ele pega seu chapéu, põe em sua cabeça e pede para Jack anotar a conta, saindo do bar.

A noite chegou, Gordon vai andando pelas ruas de Gotham quando é chamado em um beco escuro. Lá ele depara-se com o Batman. “É um bom policial, tenente Gordon. Prometa-me que posso confiar em você.” – fala o Batman. Gordon fica calado e Batman entrega a ele uma pasta com os arquivos de Falcone, o que surpreende Gordon. Batman pede que ele leve os arquivos até o promotor Harvey Dent, mas que não deixe ninguém mais saber daquilo. Ele entrega a Gordon um pequeno chip, que explica que é uma escuta e pede que implante no escritório do Comissário Loeb, pode ser a prova definitiva para provar não somente os crimes de Falcone, mas a corrupção de Loeb e Flass, e pergunta novamente se pode confiar em Gordon. Ele suspira e responde que sim, logo em seguida, ele olha para o chip que lhe foi entregue, e quando vira-se novamente para a direção onde estaria o Batman, percebe que o homem-morcego não está mais lá. “Certamente ele não é o Dent.” – afirma Gordon.

Na Mansão Maroni, seu agente Rick Morrison lhe entrega uma mala. Maroni manda que abra, e Rick assim faz, revelando uma quantidade absurda de dinheiro. Maroni manda fechar a mala e sorri, dizendo que é impressionante como vender armamento rende uma boa grana no mercado negro de Gotham City, e a queda de Falcone era tudo o que precisava para aumentar seus lucros.

No Departamento de Polícia de Gotham, Bullock prepara alguns papéis. Gordon pergunta o que é isso, e Bullock responde que é um relatório, está indo entregar ao Comissário Loeb. Gordon se oferece para entregar e Bullock agradece, assim não terá de olhar para a cara do “gordo imbecil”, como refere-se a Loeb.

Alguns minutos depois, um carro para em frente a casa de Harvey Dent. O promotor abre a porta quando encontra Gordon, afirmando que precisará falar com ele. Dent o convida para entrar e fecha a porta. “É uma bela casa, promotor” – afirma Gordon. Dent agradece e lhe pergunta a que deve a sua visita. O tenente diz que veio lhe entregar algo, e pega os arquivos de Falcone. Dent pega a pasta e folheia os arquivos, perguntando como conseguiu isso. Gordon responde que um amigo lhe entregou.

No Asilo Arkham, o Doutor Hugo Strange está saindo do local. Ele caminha pelas escuras ruas da cidade de Gotham sozinho, ouvindo passos lhe seguirem. É então que ele fica parado e sente algo encostar na sua cabeça. “Mãos ao alto, e não olhe para trás!” – diz uma mulher com o dedo encostado na cabeça do Doutor Strange. Esta era a ladra Selina Kyle, que ordena que seu refém passe tudo o que tiver. Strange tira e seu braço o seu relógio de pulso e está prestes a entregar para a criminosa acreditando que esta está armada, quando um vulto a levando. Era o Batman, que desaparece com Selina Kyle para cima de um prédio com sua corda. “Fascinante” – Diz Strange colocando de volta o seu relógio em seu pulso olhando para cima.

Em cima do prédio, Selina e Batman lutam. “Já lhe vi aqui antes, senhorita.” – afirma o Batman tentando socar Selina, que está sempre desviando. “Estranho, não lembro de você!” – diz Selina, enquanto avança contra o homem-morcego pulando em suas costas. Batman segura sua perna e a derruba no chão. Ela diz apenas um “miau” e chuta seu rosto. Selina se aproxima, crava suas unhas no peito do Batman. “Estou indo embora, até mais, gatinho” – diz a ladra, pulando para trás e saltando do prédio. Batman corre para vê-la, mas percebe que Selina desapareceu.

Quando chega em casa, Gordon entra cansado, pondo seu casaco e seu chapéu largados em cima do sofá. Ele vai até seu quarto, onde encontra sua esposa já dormindo. Então vai para a cozinha para comer alguma coisa, quando ouve alguém bater na sua porta. Lá ele encontra uma pasta, e se pergunta o que é isso. Ele olha ao redor e não vê ninguém. Ao segurar a pasta, encontra um cartão verde com uma interrogação. “Sou algo que você não sabe, mas se souber o que sou deixarei de ser. O que eu sou eu?” – estava escrito no cartão. “Que brincadeira ridícula é essa?!” – questiona Gordon a si mesmo, levando a pasta com o cartão para dentro de casa. Ele senta-se no sofá e decide abrir a pasta.

É então que surpreende-se, encontrando arquivos de compras e vendas de armamento, todas as datas de carregamento, absolutamente tudo. Está tudo no nome de Salvatore ‘Sal’ Maroni. Gordon acredita que tenha sido o Batman que lhe tivera deixado essa pasta, mas depois pensa e deduz que não é, pois ele não teria lhe entregue os arquivos sobre o Falcone para, só depois, decidir lhe entregar os de Maroni. Ele abre novamente o cartão e o relê, fechando-o em seguida e dizendo apenas a palavra “Charada”.

PersonagensEditar

CuriosidadesEditar

  • A charada "quem vigia os vigilantes?" foi uma homenagem a graphic novel Watchmen, de Alan Moore.
  • O título "Aliados" refere-se não somente a parceria de Gordon e Batman, mas também de Edward Nygma e Falcone.
  • É a primeira vez que Gordon e Batman se juntam para trabalhar em um caso.
  • É o primeiro contato de Batman com Hugo Strange.