FANDOM


A Noite do Morcego
Origins-5
Informações Gerais
Série Batman: Origens
Arco O Começo
Número do Episódio 5
Sequência
Episódio Anterior Sombras de Gotham
Episódio Seguinte O Banquete
Créditos
Escrito por JokerLeo
A Noite do Morcego é o quinto episódio da série Batman: Origens.

SinopseEditar

As aparições do homem-morcego tem gerado cada vez mais polêmica em Gotham City. Enquanto isso, Batman busca realizar uma investigação aprofundada sobre os casos de vendas ilegais na cidade.

EnredoEditar

Outra manhã em Gotham City. No noticiário, as pessoas não param de falar do Batman. A repórter Vicki Vale está conduzindo uma nova entrevista com o Promotor Harvey Dent. Quando questionado sobre a segunda aparição do homem-morcego em Gotham, Harvey deixa sua opinião bem clara. “Como promotor de justiça, devo assegurar a todos que esta figura denominada Batman está sendo investigado, mas declaro aqui, abertamente que ainda não vi o tal morcego fazer nada demais. Nenhuma morte foi causada por ele, porém eu repito como já devo ter dito antes, criminosos estão atrás das grades quando podiam estar matando ou roubando, mas estão atrás das grades e isso é graças ao Batman. Ainda não ficou muito clara a verdadeira intenção dele nem as razões do que tem feito, mas até então ele parece ter vindo para ajudar” – diz o Promotor de Justiça de Gotham City na entrevista.

No Departamento de Polícia de Gotham, todos estão assistindo a tal entrevista. Gordon comenta com Bullock o fato de Dent demonstrar tamanho apoio ao Batman. Bullock diz que é realmente estranho, mas é cedo demais, muita gente deve ter uma opinião parecida, há louco para todo tipo de coisa.

Na Mansão Wayne, Bruce também assistia a entrevista. Em sua mente, Bruce pensa o quão bom é Dent demonstrar apoio ao Batman, isso pode impedir que sejam virados os holofotes em sua direção e suspeitem de que Bruce Wayne e Batman sejam a mesma pessoa. Além disso, Dent tem uma influência inimaginável em Gotham.

De volta ao Departamento de Polícia, Flass bate na porta de Bullock chamando pelo seu nome repetidas vezes. “Abre essa porcaria e entra de uma vez, Flass!” – Manda Bullock já irritado. Flass passa diante dos olhos de Gordon, que ainda traumatizado com o que tivera lhe acontecido há 2 noites, continua sem dizer nada. Flass devolve o apontador a Bullock, que enquanto digita no computador pergunta se Flass demorou um dia para apontar um lápis ou o chifre e Flass diz que Bullock tá precisando tomar um chazinho de vez em quando, afirmando que falar demais as vezes pode prejudicar uma pessoa, olhando para Gordon e sorrindo em seguida, retirando-se. Gordon comenta que entendeu isso como uma ameaça indireta a Bullock, e o detetive fala que Flass nem ninguém em sã consciência mexeria com ele naquele Departamento de Polícia, por mais que muitos quisessem.

No salão de festas da Mansão de Carmine Falcone, um dos seus homens, chamado Butch Gill conversa com o seu chefe. Ele pergunta o que acontecerá se por acaso algum dos homens de Maroni acabar se infiltrando e Falcone fala que a segurança será totalmente reforçada, se isso viesse mesmo acontecer teria pena da pobre alma, mas Maroni não é idiota, ele não ousaria.

Na Mansão de Maroni, o milionário também conversa com um dos seus homens, Rick Morrison, o qual avisa ao seu chefe que fontes de Gotham lhe avisaram que Falcone está promovendo uma festa em homenagem ao seu aniversário. “Sinto-me feliz por isso. Falcone está envelhecendo, mais cedo ou mais tarde o desgraçado vai morrer” – comenta Salvatore rindo. Rick ri também e questiona se seu chefe quer colocar alguém para invadir o prédio. O chefe fecha seu sorriso e fala que é bem claro que não, a segurança vai ser reforçada e é impossível determinar a quantidade de gente a serviço do Falcone. Rick então responde com um mero “sim senhor” e vai se retirando da sala quando ouve o seu nome sendo chamado. Ele vira-se para trás e seu chefe pede que lhe traga algo para beber.

A noite chega novamente em Gotham City. Bruce vai subindo para seu quarto e deseja uma boa noite a Alfred. “Senhor, não querendo meter-me em seja lá o que você faz trancado no quarto, mas acho estranho que alguém que acorde 11 horas da manhã tenha sono para dormir às 7 da noite.” – comenta Alfred. Bruce põe a mão sobre o ombro de seu mordomo e diz que é verdade, ele está lendo alguns livros antes de dormir, está fazendo bem a sua mente. O patrão tira sua mão e sobe rumo a seu quarto.

Horas depois, nas docas de Gotham City, Batman observa em sigilo um caminhão com faróis apagados chegar. Ele esperou por isso a noite toda. Aproxima-se em silêncio e continua observar. O motorista do caminhão e mais um homem descem do veículo e cruzam os braços, parecem aguardar alguém.

Em seguida, um carro preto chega, também com faróis desligados. Três homens saem dele, todos bem vestidos, com ternos e chapéus. Os caminhoneiros abrem o seu caminhão e tiram dele caixotes. Os homens do carro preto aproximam-se e abrem um dos caixotes, pagando aos caminhoneiros.

Batman aproxima-se, e um dos homens do carro preto acaba notando sua presença e tirando uma arma para atirar contra o homem-morcego. Um deles grita “Che diavolo è?”, e Batman percebe que os homens daquele carro são compradores italianos, mas não sabe de que.

O vigilante esquiva-se dos tiros e usando sua corda derruba o atirador. Os outros dois homens italianos tiram suas armas e tentam atirar no Batman, que fica escondido atrás do caminhão. Os dois dividem-se indo cada um para um lado do caminhão na tentativa de cerca-lo, mas o Batman acaba subindo em cima do veículo os despistando e aparecendo atrás de um deles, lhe nocauteando e derrubando. O outro aparece e vê o seu comparsa derrubado. Por trás dele aparece o Batman que soca o seu rosto e toma sua arma. Ele chuta sua perna e o derruba.

Ao olhar para trás, Batman vê os caminhoneiros fugindo para o carro preto. Enquanto tentam ligar o veículo, o homem-morcego aparece no capô. Os homens, assustados, pedem misericórdia ajoelhando-se perante o vigilante. Batman pergunta quem é o chefe deles, e eles respondem que não sabem, foram apenas contratados. Batman pergunta por quem e os homens afirmam não saber responder, apenas ligaram para eles mandando-lhes buscar os caixotes e trazer até os italianos. Batman pergunta o que há nos caixotes e ao abrir, depara-se com armas de grande porte. “Estão vendendo armas para os italianos!” – Grita Batman enfurecido já suspendendo os dois homens com suas mãos, mas os homens dizem que não sabem pra que nem pra quem, só foram pagos para realizar a entrega.

Batman ouve um barulho, são carros da polícia se aproximando. Ele joga os dois homens no chão e tenta fugir, mas é avistado pelos policiais. Em seu carro, Gordon pergunta “o que é isso?”. Os carros da polícia estacionam, e Flass manda “Jimmy” (referindo-se a Gordon) prender os criminosos, ele vai atrás do morcego.

Flass e um grupo de outros policiais armados seguem Batman por um beco, onde acabam o perdendo de vista. Uma policial o avista em cima de um prédio e começa a atirar, juntamente aos outros, e Batman usando sua corda consegue desviar dos tiros, mas durante um dos saltos acaba torcendo sua perna.

Mesmo assim, o vigilante continua fugindo por cima dos prédios e os policiais continuam persegui-lo. Em um certo ponto, após ter pulado em vários prédios, Batman acaba os despistando escondendo-se na sombra de uma sacada. Flass e os outros policiais retornam para os seus carros após perderem o homem-morcego de vista.

Na Mansão Wayne, Alfred recebe um telefonema anônimo. Ao atender, ele percebe que é seu patrão, que fala que está ferido e precisa da ajudar do mordomo, passando em seguida o endereço.

Alguns minutos depois, Bruce vê um de seus carros chegando e estacionando ali perto. Ele, ainda trajado como Batman e mancando com sua perna machucada, entra rapidamente sem que ninguém o veja passar para o carro. Pelo espelho, Alfred vê seu patrão trajado como Batman e suspira, falando apenas um “meu Deus”.

Na Mansão Wayne algumas horas depois, Bruce sai do seu quarto mancando e depara-se com Alfred. O mordomo questiona se o seu patrão não deveria estar lendo um livro. Bruce responde que ele tomou essa decisão, e Alfred fala que tomou e foi uma decisão extremamente idiota. Bruce pergunta quem ele acha que é para falar dessa forma e o mordomo responde que é alguém que se preocupa com ele.

Bruce fica calado e Alfred fala que sempre vai apoiá-lo para toda e qualquer coisa, mas pede que sempre confie nele e Bruce promete confiar, abraçando seu mordomo. Alfred pergunta como está a perna e Bruce responde que está bem, ainda dói mas não fraturou nada. O mordomo sorri e comenta que isso é bom. Bruce vai se retirando da sala, quando chama pelo nome de Alfred. Este pergunta o que seu patrão deseja e Bruce responde que se decidiu, ele vai ao baile de Carmine Falcone.

PersonagensEditar

CuriosidadesEditar

  • A suspeita de Gordon com relação ao promotor Harvey Dent é inspirada na graphic novel Ano Um, onde Gordon também suspeita de que Harvey seja o Batman.
  • A fala "che diavolo è?" dita por um dos italianos quer dizer "que diabos é?".